19 março 2009

e o choro virá escrito em plaquinhas de auditório

O que é pior: ver os programas de humor morrerem ou, de fato, nunca terem sido humor de verdade?
Há algum tempo atrás escrevi sobre a "morte" do Casseta e Planeta. Prometi voltar pra falar sobre programas de humor da televisão brasileira em geral e, atendendo a pedidos, volto hoje para isso.
Muitos programas perderam a qualidade e, por consequência, a audiência. Foi o caso do Casseta que, pra mim, morreu junto com o Bussunda.
Em quase 60 anos de televisão brasileira existiu muita coisa que marcou a história do humor. E eu falo especialmente do Plim-Plim (leia-se Rede Globo), que é sem dúvida a emissora mais assistida do país.
Começo pelo TV Pirata [um dos meus favoritos], programa que revolucionou a tevê e é ícone até hoje pelo seu humor nonsense. Influenciado pelo inglês Monty Python, fez sucesso na década de 80 e consagrou nomes como Luís Fernando Guimarães e Regina Casé. Depois de se dissolver deu lugar ao Casseta.
Enfim, a tv Globo já teve dias melhores com Os Trapalhões [clássico que dispensa comentários], Escolinha do Professor Raimundo e Sai de Baixo.
O Zorra Total, no ar atualmente, vive tempos de risadas e aplausos de mentirinha com jargões chatos e sem graça. Só não digo que é pior, pois agrada um público específico: as crianças. Ainda que o horário não seja o mais recomendado para elas (após as 22h), o programa não abusa da sexualidade e com personagens infantis elas adoram. Ainda que a personagem Lady Kate seja declaradamente uma "ex"-prostituta, a jovem atriz Katiuscia Canoro acerta na dose com o seu "to pagando" e com palavras e expressões ditas de forma errada. Acerta para as crianças.
A Turma do Didi não suga em nada o potencial do trapalhão mais querido do Brasil.
Outro potencial esquecido é o de Chico Anysio. Até o programa Pânico (outro do humor chinelão) já fez um apelo desesperado para a Rede Globo recolocá-lo na grade de programação. Em vão. Chico vai morrer assim como morreu Bussunda, Muçum, Zacarias e a velha mais bagaceira da tv: dona Dercy Gonçalves. Nos vemos no velório.

3 comentários:

Misael Lima disse...

Ha! é como a justiça brasileira: tarda tarda e tarda. A diferença é que pelo menos a Ju não falha...

Só um ponto: O casseta e planeta já tava morto antes do bussunda. Desde que deixou de ser mensal para ser semanal. Mas, fazer o que.

Ao menos o Monty python e a Tv pirata não deterioraram. Acabaram no auge e por isso, são tão queridos e lendários nesse meio...

Mateus Trindade disse...

Tinha até me esquecido deste post prometido no meio do ano passado. Este vale um grito de "aleluia" de todos que esperavam arduamente esta matéria sobre o humor brasileiro. Faltou falar do CQC que é um humor diferenciado por usar técnicas do jornalismo referencial. Mostra os bastidores de enventos políticos, de celebridades que acabam ficando desapercebidos pelos grandes grupos de comunicação.

Não fui da época de TV pirata e Monty Pyton, tenho que me contentar mesmo com programas de humor que não valem a pena assistir.

Camila Schäfer disse...

Bah, estamos carentes de programas bons de humor... a Porra Total virou programa infantil.. em pleno sábado à noite. Bem que poderiam passar a noite e madrugada inteira de filmes.. hehe
E o Didi, bem, esse já está em fim de carreira.. as piadas perderam tanto a graça que agora eles apelam para as gostosonas expulsas do BBB e pra efeitos especiais ridículos..