19 dezembro 2008

Que venha em paz o ano que vem

Há quem faça as contas
Há quem vá às compras
Quando mais um ano chega ao fim
Hora de escrever cartões
Hora de rever os planos
Mais um ano chega ao fim
Que venha em paz
O ano que vem que venha em paz
O que o futuro trouxer
Cai a neve nas vitrines
E a gente derrete ao Sol
Nesse Natal tropical
Os cachorros da vizinhança vão latir
sob fogos de artifício
Pensarão que é o fim
e será só o início
Que venha em paz
O ano que vem que venha em paz
O que o futuro trouxer
Há quem ignore o calendário
Há quem fique de olho no horário
Quando mais um ano chega ao fim

Então que venha em paz o ano que vem, que venha em paz o que o futuro trouxer
Feliz 2009!

Trecho da antiga canção 98/99 de Humberto Gessinger

09 dezembro 2008

humana demais

Fazendo a produção do Frequência Livre conheci a Lucí. Ela é numeróloga e topou participar do programa falando sobre o que os números apontam para 2009.
Mais do que isso, a gentil Lucí me enviou um email carinhoso falando também sobre os números da minha data de nascimento. Confere.

24/05/1988 = 1 VIBRAÇÃO “1”

PONTOS POSITIVOS: Pioneirismo, iniciativa, grande capacidade de liderança, inventividade, capacidade de comando e espírito executivo. Devido a estas características, a consulente com esta vibração, normalmente tem êxito e prosperidade em quase todas as atividades. Normalmente é firme nos ideais, constante nos desejos, ativa nos propósitos e fiel cumpridora de seus deveres, estando especialmente apto para ocupar postos de responsabilidade que requerem mente desperta e constantes iniciativas. O 1 necessita de brilho, de reconhecimento e sucesso. Para conseguir esse estágio, se dedicam exaustivamente ao trabalho e normalmente são os melhores na sua área de atuação. Dá sempre a impressão de ser feliz, ou estar feliz, mesmo que não esteja.


PONTOS NEGATIVOS: A sua capacidade criativa por vezes se torna excesso de ânimo e surge naturalmente a arrogância, o caráter dominador e também um certo egoísmo, pois tende a achar que o sucesso do grupo dependeu exclusivamente dela. Esse tipo de postura pode tornar difícil o convívio com os amigos e colegas de trabalho, além de dificultar o relacionamento a dois, pois não é nada fácil conviver com ela.


ORIENTAÇÃO: Como não gosta de receber ordens, deve sempre procurar trabalhar por conta própria ou em cargo de chefia. Sendo individualista, íntegra e honesta em seus propósitos, deve aprender a ser pioneira, a trabalhar em grupo e a ser comandante, não ditadora; a ouvir conselhos, analisar situações e, após meditar sobre o assunto, tomar decisões. Ou seja, não agir precipitadamente.

08 dezembro 2008

um pouco de silêncio e um copo de água pura

CONCLUSÕES SOBRE SEMANAS RECHEADAS DE DIAS COM 20 HORAS DE TRABALHO:

*PINK FLOYD- as melhores trilhas para os programas de rádio
*AGENDA TELEFÔNICA- nunca perder
*VIDA SOCIAL- what?
*NAMORADO- não posso sair no final de semana. nem no outro. me liga daqui dois meses, plis.
*FOFOCAS- aprenda a ficar calado. não, não te meta, não dê palpite. zero coments
*COMIDA- zero lanche, zero bolacha. ou...
*RIR AO VIVO- não, não, não!

*ps.: esqueci o resto...

um pouco de silêncio e um copo de água pura

25 novembro 2008

Impresso em cada gesto meu

Ontem recebi um email que me tocou. É esse que segue abaixo e eu faço questão de postar. Isso pq me fez bem ler que alguém compartilha das mesmas idéias e ideais que eu...que existe gente que acredita que Engenheiros do Hawaii é bem mais do que uma banda para nós que somos fãs. Para quem não é e ficar aborrecido com mais um texto sobre, fica o convite a retirar-se, pois nessa página os tum-tuns de uma Soska são prioridade! Obrigada, Luis.

Sweet Juliane Begônia

Para mim, você não tem nada de pseudo-jornalista. Andei até copiando o seu blog para o meu computador. Memando. Adorei esse novo verbo. É isso mesmo. A vida precisa ser reinventada a cada hora. São textos muito bem alinhavados, sem muita pressa, com muita precisão.
Há algum tempo atrás eu mandei um orkut para você lhe parabenizando pelo encontro com o Augustinho. Lembra? "Eu também nunca deixei de acreditar".
Escute, garota! Eu vivi aquela época. Época das luzes. Verdadeiro Iluminismo. Um pouco antes de você nascer, eu já estava na infinita highway ouvindo Sampa no walkman. Parece que foi ontem. Parece que chovia. Apesar dos meus 35 anos, acho que o tempo não passou para mim. E acredito que seja tão jovem quanto você. Porque uma banda serve para aproximar, juntar ideais.
Realmente,eu fiquei encantado ao saber que você gosta de Engenheiros, gosta de disco de Vinil, assim com tão pouca idade nesse mundo eletrônico, onde tudo é muito rápido.
A graça de viver nos tempos de hoje é a facilidade de se obter informações com tanta rapidez.
Nos anos 80, 90, tudo era muito difícil, muito raro. Aí, é que também estava a graça da coisa, porque favorecia o sonho, a nostalgia. Obter informações da banda preferida era um martírio. Eu passava o ano inteiro esperando pelo novo disco de vinil ( hoje é cd, mp3, que não tem graça nenhuma) dos Engenheiros. Vivia sonhando em ter na minha casa aquele chá das cinco (programa da rádio Transamérica), aquele Programa Livre, enfim qualquer aparição de Humberto, Carlos e Augusto. De fato, eu tinha muito pouco material. Hoje, passados 20 anos, praticamente tenho tudo do GLM.
Saudades? Eu tenho saudades do futuro. E espero vivê-lo ao som do GLM, porque eu nunca deixei de acreditar. Pelo menos com mais um cd de inéditas e um DVD comemorando os 25 anos. Se possível sem essas rugas que começam a surgir no meu rosto. É nesse sentido que eu sou nostálgico, um cara com a cabeça lá nas nuvens, bem mais jovem do que no ano passado, como uma vez disse o HG.

Deixo para você um forte abraço e uma frase do HG: O amor é lindo quando é correspondido.

Luis Henrique

10 novembro 2008

Pra que serve um amigo?

Recebi este texto por email...achei legal pelas coisas práticas que atribuimos a essas pessoas chamadas de "amigos". Gostaria de dizer o que está escrito abaixo a alguns dos meus...alguns que estão nessa foto, aquela que me enviou a mensagem, aos que lêem o blog, aos que estão longe demais pra eu dar um abraço ou encontrar na feira do livro de Porto Alegre, aos que eu encontro quando estou indo trabalhar ou mesmo os que trabalham e/ou estudam comigo e também aos que voltam na van do Aladar.

Pra que serve um amigo?
Pra tanta coisa, né? Para instalar o XP no computador e não cobrar nada, mesmo perdendo horas e horas a fio! Para trazer muamba do Paraguai e quase ser preso!
Para emprestar o carro e recebê-lo de volta com multa
e 21 pontos na carteira.
Pra rachar a gasolina, emprestar a prancha,
recomendar um CD, dar carona para festa, passar cola,
caminhar no shopping, segurar a barra.
Todas as alternativas estão corretas, porém isso não basta para guardar um amigo do lado esquerdo do peito.
A amizade é indispensável para o bom funcionamento
da memória e para a integridade do próprio eu.
Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises e choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos.
Um amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta
o tempo, empresta o calor e a jaqueta.
Um amigo não recomenda apenas um CD. Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país.
Um amigo não dá carona apenas para festa. Te leva para o mundo dele e topa conhecer o teu.
Um amigo não passa apenas cola..... Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon.
Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo,
sai do fracasso ao teu lado.
Segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim, talvez, ninguém tem...
Se tiver um, amém!
Obrigada por tua amizade... Ela é muito importante para mim!

03 novembro 2008

chame do jeito que quiser

Ó Deus!
Me explique: pq quando vejo este homem meu coração faz tum tum mais acelerado?
Pensei que estava "crescendo". Até a Ana disse isso. Pensei que estava criando juízo, me tornando responsável....mas não!
Largarei novamente o trabalho, a aula de pesquisa tão f***, vou pra pqp atrás dele...que é isso, hein? Vício, virtude ou amor?

Uma voz interior diz:
os três. Ou chame do jeito que quiser

Até Santa Maria, jovem amado!
Foto de ontem, 2, na 54° Feira do Livro de Porto Alegre.

29 outubro 2008

ailóviu

Faz tanto tempo né?
Saiba quanto tempo estive aqui esperando pra te ver sorrir...pra poder seguir
Eu ainda to aqui
Não desista de quem desistiu
Do amor que move tudo aqui
Ailóviu, ainda
Saiba que é preciso amar você
Não esqueça que estarei aqui

Um post tosco pra não destruir mais sonhos...que a pessoa certa não vai ler...

Pelo espelho a vida vai passar...e o tempo está no pensamento

24 outubro 2008

Memando

Memando- verbo que remete à idéia de estar fazendo uma meme. Se ele não existia, agora existe e faz parte do dicionário julianês.
A Niela me passou e como eu gosto de memes...vou responder.
8 coisas que eu gostaria de realizar antes de partir desse mundão de Deus:
* Ver um show do Gessinger, do Licks e do Maltz...JUntos!!!. Depois disso posso até morrer.
* Ver outro show do Gessinger, do Licks e do Maltz!! Só mais um...por favor!
* Tatuar todo meu braço direito...haja grana e disposição!
* Viajar por todo país, por todo o mundo, por todo o universo...tá, deu, chega!rsrs
* Receber meu diploma ao som de Toda forma de poder, largá-lo numa gaveta e ir virar lenda na China
* Morar na praia
* Voltar pra Porto Alegre e dizer: aqui é meu lugar!
* Não trabalhar nunca mais e ainda assim trabalhar todos os dias
* Mandar o mundo à pqp e esquecer daqui...

Ah, eram só 8, né? Beleza. Tai, acreditem ou não.

23 outubro 2008

Deve haver alguma coisa que ainda te emocione


...e te faça lembrar pra sempre desse show. Quem foi viu um dos maiores espetáculos do ano na capital gaúcha. Pouca Vogal em Porto Alegre.
Foi de arrepiar, incrível e emocionante. Quem me conhece sabe que não estou tirando uma linha da minha parcela de fã de Humberto Gessinger ao afirmar aqui o quanto ele é talentoso e versátil e maravilhoso e querido e tantas coisas boas! Se juntar ao Duca foi só pra multiplicar todas essas qualidades.
Confesso que fiquei de queixo caido com a perfomance do vocalista da Cidadão Quem. MARA, como diziam as gurias na platéia.
O set list foi uma mescla de Pouca Vogal, EngHaw e CQ. Teve surpresa pros fãs enghaw com a última música que eu esperava ouvir ao vivo: BANCO! "Deve haver alguma coisa que ainda te emocione...um vinho tinto, um copo d'água, a chuva no telhado, um pôr de sol...".
É, foi muito bom, especialmente pq eu pude assistir praticamente dois shows, mas...abafa!
Agora é esperar pra curtir o próximo. E ele será em breve: 06 de novembro em Santa Maria.
Preciso de duas folgas, um atestado médico, uma carona de ida e volta e um ingresso. Alguém tem pra me dar?
Foto por Fabiana Menine

17 outubro 2008

É HOJE


EM PORTO ALEGRE!!!

Hoje, HOJE, hj, HoJe!!!!!!!!!!!!!!!!! H-O-J-EEEEEEEEE!!!

POUCA VOGAL EM PORTO ALEGRE!

Tchau, fui (não volto mais...não procure mais por mim!hehe)

pouca vogal tri legal
fueda!

10 outubro 2008

SÓ MAIS UMA SEMANA

Nunca estive tão ansiosa pra um show como dessa vez.
É pq é novo? É pq eu nunca vi? Não sei. O NH também foi uma coisa totalmente nova, foi em outro estado...
É pq é outro estilo? Pq teve mudanças? Não sei. Em maio deste ano vi HG tocando baixo pela primeira vez ao vivo...
Já estou sem unhas, nervosa, não to dormindo direito, contando os dias...bah, alguém me explica?


Abaixo os videos dos melhores momentos da gravação do disco Novos Horizontes e também do primeiro show da tour desse disco na minha cidade amada Porto Alegre.


09 outubro 2008

ainda pensando

O Google é o melhor amigo do homem.
A diferença entre a página e os cachorros é que os bichinhos não podem ler nossos emails.

por enquanto

pensamento

Alguém mais se sente um devorador de fones de ouvido e guarda-chuvas?

08 outubro 2008

vou me guardando pra quando a dupla Pouca Vogal chegar

Caiu a ficha. Faltam NOVE dias. É estranho esperar por algo que nunca vi.
É, é bem estranho mesmo. Ainda que eu já tenha ouvido 3.258 vezes cada uma das nove canções...agora é ao vivo.
Como será a performance?
Como será a disposição no palco? (espero que o Humberto fique do lado esquerdo pela visão da platéia, pois eu estarei lá- dispostinha!) Como será o cenário? Haverá cenário?!
Vai lotar? Vai ter mais fã de qual banda, CQ ou EngHaw?
Quais canções das bandas eles vão tocar?

NOVE dias pra obter essas respostas. Enquanto isso, ouço as NOVE canções da dupla.

vou me guardando pra quando Pouca Vogal chegar

02 outubro 2008

Onde foi que eu deixei?

Tem muita gente na faculdade, mas tem muito mais gente fora dela. Por uma sorte nesse mundão de Deus, eu faço parte do primeiro grupo.
Tem gente que está na faculdade, mas também não está. Paradoxo; tem gente que não curte muito a idéia de estudar. Bom para mim e todos os colegas que tentamos fazer diferente e realmente nos interessamos por um pouco mais que diversão. Ou melhor, diversão pra nós é estar ali e fazer o que fazemos.
Ainda não tá entendendo?
Pois é, nem eu. Só queria escrever algo melhor que o último post, na minha infelicidade de querer desabafar...também não vou apagar, mt bobinho, né?
Lembrei de quando eu tinha 11 anos e disse pra mãe que iria trabalhar no The New York Times. Ela ainda acredita fielmente nisso. Lembrei também de quando eu tinha 15 anos e queria desesperamente estudar oceanologia em Rio Grande. Meu pai disse "nem fudendo". Talvez ele tenha razão, mas me bateu uma vontade de retomar isso. E ele sabe.
Penso que sou um pouco instável.


E onde foi que eu deixei toda aquela sede de "vamos salvar o mundo das cáries"?

22 setembro 2008

DEMOcracia


Uma coisa dessas só podia vir do DEMO mesmo. E se juntam a ela: Sérgio Malandro, Pit Bitoca, ex-BBBs, Rita Cadillac & Netinho de Paula.
Chuta que é macumba.

A chegada de Dercy Gonçalves ao céu...

Chegada de Dercy Gonçalves ao céu...
- Porra tá frio aqui em cima.
- O céu não tem temperatura, minha senhora. Pondera um porteiro celestial de plantão.
- Não tem é o cassete. Tá frio sim senhor - insiste Dercy.
- Prefere o inferno? Lá é mais quentinho!
- Manda tua mãe pra lá. Cadê o Pedro?
- Pedro só atende aos purificados.
- E eu tô suja por acaso: tô cagada, esporreada ?
- Você primeiro tem que passar pelo purgatório, ajustar umas continhas?
- Não devo nada a veado nenhum.
- Você foi muito sapeca lá por baixo.
- Como é que você sabe. Andava escondido debaixo das minhas saias?
- Dercy, daqui de cima a gente vê tudo.
- Vê porra nenhuma. Vê a pobreza; a violência; meninas de 4 anos sendo estupradas pelos pais, político metendo a mão no dinheiro dos pobres; carinha cheirando até cocô pra ficar doidão? O que vocês vêem? Só me viam?
- Você fala muito palavrão.
- Eu sempre disse que o palavrão estava na cabeça de quem escutava. Palavrão é a fome, a falta de moral destes caras que pensam que o mundo é deles. Esses goelas grandes e seus assessores laranjas, tangerinas e o cassete?
- Está vendo? Outro palavrão.
- Cassete é palavrão seu porteiro do caralho? Palavrão é a PQP!

(silêncio de alguns segundos)
- Seja bem vinda Dercy. Sou Pedro. Pode entrar.
- Caraaaaaalho, não é que eu morri mesmo! - E o purgatório?
- Você já passou 101 anos por ele, lá em baixo. Venha descansar!!!

16 setembro 2008

Adeus, Richard

Richard Wright, tecladista e fundador do Pink Floyd, faleceu ontem, segunda-feira, vítima de câncer aos 65 anos.
E hoje o dia amanheceu triste, frio e vazio...muito menos progressivo do que deveria ser.
Para os fãs de PF, como eu, que ainda mantinham viva a esperança de um dia vê-los unidos também em terras tupiniquins, é o fim do sonho de volta...não só aqui, mas em qualquer lugar.
Adeus, vá em paz, compañero!


Us, and them
And after all we're only ordinary men.

15 setembro 2008

Solidão e mania de televisão


Casa vazia, luzes acesas só para dar a impressão. Cores e
vozes, conversa animada: é só a televisão.” (Gessinger, 1995).


O trecho desta canção fala sobre uma das maiores funções estabelecidas pelos usuários da televisão hoje: um objeto de companhia para o seu proprietário. O mesmo é descrito por José Marques de Melo em seu livro Tele Mania, Anestésico Social (1981).
Este fenômeno se dá em virtude deste meio ter surgido após a Segunda Guerra Mundial, quando se tornou popular e acessível. No Brasil, começou suas atividades na década de 50 e ganhou a função de difusora da cultura. Porém, as questões comerciais assumiram o comando desse veículo, que perdeu sua missão cultural.
As possibilidades oferecidas pela tv são atraentes: informação e entretenimento em um só meio que reúne voz, cor, imagem e ação. Essas propriedades causaram um grande interesse dos investidores e também do seu futuro público. Com isso, não tardou para que o desenvolvimento da tv estivesse diretamente ligado a atividades capitalistas promovidas pelos paises industrializados e desenvolvidos. Telemania- esse conceito é descrito pelo autor (1981:13) como “poderoso antídoto reivindicatório e ao mesmo tempo saudável fortificante consumista. Ou melhor, eficiente anestésico social, capaz de ressuscitar nas populações urbanas a incomensurável solidão com que outrora o feudalismo amesquinhava as populações rurais”.
A telemania não só cria uma identidade consumista, como também preenche o lar de famílias. Tv é sinônimo de distração, diversão e reproduz a idéia de companhia, especialmente quando ligada e não assistida de fato. Para Melo, o perigo desse sistema está na influência para as crianças. Os pais ocupados nas suas atividades profissionais, atribuem à tv a tarefa de babá eletrônica. Isso pode resultar na ausência de uma comunicação com retorno, além do questionamento se a tv contribui para o conhecimento positivo ou se apenas emburrece as crianças.
O costume de assistir esse veículo está ligado à solidão e, portanto, a tv age como companheira dos indivíduos cada vez mais sozinhos e que a utilizam como anestesia para suportar essa situação.
Pode se presumir que estes sujeitos que hoje usam a tv como parceria são as crianças que ontem tinham esse meio como babá eletrônica.



Desligue a tv e vá ler um livro?

11 setembro 2008

No ar: Pouca Vogal

Está no ar o site Pouca Vogal. Fruto da parceria entre Humberto Gessinger e Duca Leindecker, o site traz informações e músicas da dupla para baixar gratuitamente.
Fã do trabalho do Gessinger, eu aguardei essa novidade com pé atrás. Penso que o Duca é um baita músico, mas EngHaw pra mim é bem maior e talvez eu tenha que superar um certo preconceito de dividir o ídolo com fãs de outra banda e saber que ele não será a única estrela no palco.
Não tem bateria; é estranho. Penso que ainda é cedo pra conclusões, mas ver que praticamente todas as letras são do Humberto já me deixa bem feliz. A alma dele são as letras consistentes. Nada contra o Duca, mas algumas músicas dele não me tocam, ainda que os dois sigam uma linha parecida nas suas respectivas bandas.
Eu passei o dia de hoje só apertando F5 e justo quando eu fui pra aula...não tinha aula!hahaha
Voltei pro pc e liguei pro Wander, meu compañero de fé...nós dois discutindo: quando essa treta vai entrar no ar?
F5 de novo e tchãram!

"e o centro do universo é outro lugar"
e lá estarei eu, sempre a te aplaudir

05 setembro 2008

Loucos por bolachão

Bolachão para os íntimos. Mesmo com toda tecnologia desse novo milênio em construção, algumas pessoas ainda são apaixonadas por esse formato.
Desenvolvida na década de 50, essa mídia é considerada morta por boa parte dos jovens da minha idade. Afinal, em tempos de mp3 players com super capacidade de armazenamento, soa um tanto quanto idiota a idéia de ainda se gastar dinheiro com música. Está tudo disponibilizado de forma gratuita na rede, não é?
Quando foi a última vez que tu comprou um CD? O último que eu comprei foi o Novos Horizontes, do Engenheiros do Hawaii. Mas só pq eu sou fã e guardo com carinho toda coletânea da banda.
Se até mesmo os CDs, tidos como a revolução da indústria fonográfica na sua época de lançamento estavam se tornando obsoletos, o que dizer então dos discos de vinil- os pops LPs? Jurássicos por definição para boa parte da juventude que ainda paga por música no final dos anos 90 e começo dos anos 2000.
Talvez pela nostalgia ou pelo fetiche dos clássicos perpetuados em primeiro momento pelo long play, é que esse formato mantém lugar de honra na casa de malucos como eu. Também tem o fato de que o bolachão sai na frente na qualidade do som. Qualquer ouvido mais calejado sente a diferença, pois apesar dos chiados e estalos costumeiros, os vinis apresentam um som ligeiramente mais encorpado que em outros meios.
Mas não é isso que move a paixão de alguém por discos, mas sim todo o ritual de preparação para ouvi-lo! É nisso que reside todo seu charme, a retirada da capa (obras de arte!) e depois do envelope plástico, o ajuste de rotação, encostar a agulha cuidadosamente e poder sentir a música, tornando-se um momento que exige atenção e dedicação, diferente de só apertar o power e deixar a lista inteira de mp3 tocar randomicamente.
Esse é um momento de apreciação plena, de sedução. Me faz relembrar tempos da proximidade física com as coisas e as pessoas, em que o tempo era mais flexível, o mundo era mais alegre e a música muito mais sincera.
Alguém pode dizer que essa é uma moda passageira e em breve estarei enjoada dessas porcarias que só ocupam espaço, juntam poeira, arranham e quebram por qualquer coisinha. Mas bah, essa é uma paixão entendida apenas por quem sabe qual o formato que a música deveria manter: o bom e velho disco de vinil.

03 setembro 2008

O coração sempre arrasa a razão

Coração ou cérebro- qual dos dois sente as emoções e sensações? Enquanto passamos por alguma situação que mexe com nossos sentimentos, o cérebro produz substâncias químicas que alteram a percepção da realidade, causando um estado de euforia. O coração recebe essa mensagem emocional rapidamente e pulsa mais rápido.
Daí vem o mito de que o coração é a casa dos sentimentos. O cérebro dita e as sensações sentem-se no coração por mera ilusão.
Ao ver a pessoa amada, ao ser promovido no emprego, ao conquistar uma vitória, ao perder uma pessoa querida, ao ver uma cena triste ou em diversas outras ocasiões sentimos o coração acelerar.
O nosso coração, além da figura romântica de estar envolvido com nossas emoções, tem um papel muito importante em nossa vida. Ele tem a capacidade de influenciar o cérebro e nos permite sentir bem estar. É como se tivéssemos dois cérebros dentro de um só: um emocional e outro cognitivo, ambos trocando informações precisas.
O coração está ligado como símbolo do amor. Há mais de três mil anos os judeus criaram essa simbologia devido ao aperto que sentimos no peito quando nos emocionamos. Também na antiguidade, há mais de cinco mil anos, os egípcios, que descreveram diversos sinais de doenças neurológicas, consideravam o coração como o templo da alma e a biblioteca das memórias.
O coração permaneceu como sede da consciência até Hipócrates (460a 379 AC), o pai da medicina ocidental. Para ele, o órgão que controlava as sensações e a inteligência era o cérebro. Nem todos os gregos aceitavam essa idéia. Mas Aristóteles, por exemplo, continuava acreditando no coração como albergue do intelecto. Para ele, o cérebro seria um simples radiador para esfriar o sangue esquentado pelas batidas do coração.
Mais do que um músculo do corpo- para os cientistas, o centro das emoções humanas é apenas o cérebro. Um novo estudo foi feito para demonstrar que essa noção pode não estar totalmente correta. O que ele indica é que o coração também fala com o cérebro- embora o que ele diz ainda não esteja totalmente claro.
O estudo foi realizado por Marcus Gray, do University College de Londres, e seus colegas, e publicado na última edição da revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. A pesquisa é feita com pacientes com uma variedade de problemas cardíacos. Durante uma tarefa experimental levemente estressante, as pessoas respondem com atividade cardíaca aumentada.

28 agosto 2008

Tchau, Kuki


Hoje é um dia muito triste. O meu cachorrinho Kuki faleceu e deixou órfãos os três filhinhos dele com a Kitinha.
Não tenho aqui comigo uma foto dele pra postar, mas deixo a minha homenagem a esse fiel compañero que foi agora se encontrar com os papais Kiko e Paquita.
Uma foto da Mina que era a amiguinha preferida dele...Se cuida, meu véio.

27 agosto 2008

Uma morte do casseta

Ontem, na falta de algo melhor para fazer, assisti o Casseta e Planeta. Deprimente ver que um dos grandes programas irônicos da televisão brasileira caiu no clichê de olhar apenas pro próprio rabo. Sim, oroborus.
Falta de boas criticas e matérias que beiram a imbecilidade- foi só isso que consegui perceber na atração. Talvez essa baixa no conteúdo se dê à ausência de Bussunda, que faleceu em 2006, ou também a licença maternidade de Maria Paula, que se dedica ao seu segundo filho com o músico João Suplicy.
Não bastasse isso, quem substitui amargamente a oitava casseta é a comediante Cláudia Rodrigues. Não foram felizes ao eleger a ex-diarista (e que fazia bem melhor esse papel) para o lugar de Maria Paula. Além de não possuir os atributos que a casseta conquistou junto ao público do programa, a atuação da baixinha deixa a desejar, apresentando um texto forçado e que me fez sentir vontade de trocar de canal (ou melhor: desligar e tevê e ler um livro!).
Senti falta das chamadas bem elaboradas que assistia até bem pouco tempo, das criticas aos politicos corruptos desse país, das demonstrações de indignação com as emes que nos rodeiam e todas as grandes produções desses caras.
O que vi ontem foram apenas sátiras muito sem graça das novelas globais. Acho que os guris e a baixinha (que imitando a Amy Winehouse é bem melhor do que a original) não se deram conta de que o mundo continua sendo o mesmo da época do Casseta Popular e de O Planeta Diário, e não apenas folhetins da emissora.
Pra não dizer que só atirei o pau na turma, ponto positivo pra critica à cobertura do Pedro Bial nos jogos olimpicos de Pequim 2008. Bial na China: uma cobertura sem noção e com aqueles textos poéticos que descem mal no estômago da gente...bem mais do que as iguarias chinesas.
Jaz aqui um programa do casseta

Eu nunca deixei de acreditar

Era pra ser só mais uma tarde de função na redação da rádio onde trabalho, mas fui surpreendida com uma alegre noticia. No email, o release: “Do quarto para o mundo”, esse era o título do workshop ministrado por Augusto Licks, dia 23 de agosto, em Porto Alegre.
Mais do que uma surpresa, essa era a oportunidade de, finalmente, conhecer de perto um ídolo, um músico que consagrou a trilha sonora da vida da maioria de nós aqui.
Pensei nas tantas vezes que imaginei um encontro com ele, nas vezes que pesquisei passagens de avião para o RJ e quando visitava com freqüência uma página virtual nomeada “por onde anda Augusto Licks?”.
Acho que o momento chegou, mas não foi tão fácil. Pessoal do Santander Cultural inflexível- participantes apenas com interesses musicais. Mas será que os meus interesses são aceitos? Não, penso que não. Depois de muita insistência e telefonemas, fiz valer meus contatos e participar dessa atividade como ouvinte.
Enfim chegou o sábado, 23 de agosto de 2008- um dia memorável. Saí cedo da minha cidade, a vizinha Cachoeirinha, ainda com tempo de assistir a final do vôlei feminino nos jogos olímpicos de Pequim na estação Mercado do trensurb. É ouro paro Brasil e Augusto para os gaúchos.
Cheguei no Santander Cultural, situado em um dos pontos mais bonitos da capital gaúcha, a Praça da Alfândega. Um fila discreta se formava no local. Ansiedade. No relógio 10h55.
11h- o horário marcado. Entrei no prédio, que desponta no coração da minha Porto Alegre, e me dirigi à sala reservada para o evento. Augusto surge logo em seguida. Uma palestra? Uma oficina? Um workshop? Ele próprio se questiona sobre como denominar o nosso encontro.
Papo abstrato para começar a conversa com os cerca de 30 presentes. Como se perceber a música- anéis olímpicos ou icebergs que se encaixam? “Tudo depende do contexto”, disse ele.
Na pauta guitarras e suas variáveis, gravações, estúdios, um gráfico com esquema de linha do tempo incluindo estilos musicais, meios de difusão, formatos e novas tecnologias para gravação. Tudo com a elaboração e explicação que mostra que o nosso momentâneo professor sabe muito bem do que fala e com a autoridade de um músico admirado por todos na sala.
Momento tietagem ficou por minha conta, que ao final não resisti e pedi um abraço a ele. É como se fosse uma pessoa querida (isso sempre foi) que eu não via há muito tempo (tipo nunca) e que agora voltou. Foi um abraço para matar a saudade.
Histórias, mais histórias, espaço para perguntas e um bate papo que durou até às 18h.
Despedida, fotos, autógrafos e a promessa de que do quarto e do Santander Cultural, agora é para o mundo.
Obrigada, Augusto.

22 agosto 2008

professor

Encontros com o professor, ontem foi na José do Patrocínio (e que patrocínios hein, professor!?!). Papo com Humberto Gessinger (e que convidado hein, professor!?!). Futebol, Engenheiros do Hawaii, Pouca Vogal, livros e muita coisa boa rolou no encontro dessa quinta-feira nublada na capital dos gaúchos.
Destaque para as histórias dos showmícios do Brizola, o Che dos Pampas...o homem que podia ser prefeito do mundo, mas que acabou sendo jogado para cima do palco onde EngHaw animava os eleitores de Maringá, no Paraná. Resultado? Uma dor indispostinha nas partes íntimas do jovem. Segredos que a gente não conta, Humberto! rsrsrsrs

E que desse encontro fique a lembrança das histórias hilárias e as dicas de um eterno professor!

21 agosto 2008

vício, virtude ou amor?

Chame do jeito que quiser!
Encontros com o Professor, hoje com Humberto Gessinger.
19h30 no StudioClio, na José do Patrocínio, 698.
Adivinha? eu vou, né...certo!
HG por Ruy Carlos Ostermann
O músico Humberto Gessinger nasceu em Porto Alegre em 24 de dezembro de 1963. Em 1984, juntamente com colegas da Faculdade de Arquitetura da UFRGS, montou a banda Engenheiros do Hawaii, cuja primeira formação trazia Gessinger, Carlos Maltz, Marcelo Pitz e Carlos Stein (hoje do Nenhum de Nós). O nome foi escolhido para satirizar os estudantes de Engenharia que andavam com bermudas de surfista, com quem os integrantes tinham uma certa rivalidade. Mesmo com pouco tempo de carreira, os Engenheiros conseguiu gravar a coletânea Rock Grande do Sul (1985) com diversas bandas gaúchas, em função de um dos grupos selecionados para participar ter desistido da participação no álbum na última hora. Em 1986, o grupo gravou o seu primeiro álbum: Longe Demais das Capitais.Com o lançamento do terceiro disco, Ouça o que eu digo, não ouça ninguém (1988), o grupo mudou para o Rio de Janeiro. Em 1991, os Engenheiros participaram do Rock In Rio II juntamente com nomes como Guns N´Roses, Sepultura e Lobão. No ano seguinte, nasceu Clara, filha de Gessinger, para quem ele dedicou à música Parabólica e que hoje faz participações especiais nos trabalhos do pai. Ao longo de mais de 20 anos de trajetória, o grupo, do qual Gessinger é o único integrante da formação original, já lançou 18 discos e cinco DVDs, tendo se apresentado por todo o Brasil e no exterior (EUA, Japão, Rússia, Argentina e Uruguai). Além de cantor e de multinstrumentista, Gessinger é compositor, tendo mais de 150 composições gravadas. A primeira incursão do músico no universo literário aconteceu com o Meu Pequeno Gremista, que faz parte do projeto Meu Time do Coração, coleção de livros oficiais de grandes times brasileiros, dedicada ao público infantil, é o seu primeiro livro. Como não poderia deixar de ser, a canja musical será com o próprio convidado.
E agora, HG se dedica as atividades da dupla Pouca Vogal, com Duca Leindecker.
Primeira apresentação do POUCA VOGAL em PORTO ALEGRE- 17 de outubro no Teatro do Bourbon Country.
EU VOU!

19 agosto 2008

Rá pra ti

Da série "caras para quem eu daria certo". Sim, ele é um gato, fofo e despojado. Jornalistinha bem querido pelas gurias, além de um rostinho talentoso nas noites de segunda na telona da Band. Mas não é disso que eu vim falar ou é mais ou menos isso.
Eu canso fácil de blogs. Deve ser pq ninguém lê ou comenta. Eu curto visibilidade.
Hoje eu senti vontade de falar, mesmo que eu continue parecendo invisivel.
Usar a roupa do namorado é tão anti-tesão como não ser considerado e ouvir que tu teve um "ataque".
A gente não espera elogios, mas também não quer esporros quando tudo que fizemos foi vestir a camiseta e buscar o melhor de um projeto.
Não sei pq eu ainda me importo tanto com isso. Virar chacotinha no ambiente acadêmico também não é legal, jovem.
E nem me venham com aquele papo de que "no mercado é pior". Foda-se o mercado e seus pseudo-intelectuais.
Vou levantar as mãos pro alto e me render. Ou olhar melhor a cara do Rafael Cortez e perceber que tem gente com a mesma sede que eu. E que sensibilidade é coisa de viado.

04 agosto 2008

o problema em ser irônico...

O primeiro problema em ser irônico é que, quando as pessoas não entendem, quem fica parecendo um idiota é você.
O segundo problema em ser irônico é que quando você fala sério as pessoas pensam que você está sendo irônico!
O terceiro problema em ser irônico é que quando você utiliza a ironia para afirmar algo diferente do que se deseja comunicar, geralmente o contrário, deixando transparecer a contrariedade por meio do contexto do discurso, ou através da alguma diferenciação editorial, ou entoativa ou gestual e o receptor entende que a ironia foi utilizada para enunciar simplesmente uma falsa idéia, mas ainda assim séria, a contrariedade sutil que você utilizou torna-se inútil criando uma confusa e despercebida crítica, transmitindo a impressão que se disse algo sério tentando não ser idiota, mas só por tentar parecer ser algo sério já tornaria idiota, quando na verdade se disse algo verdadeiramente inteligente e verdadeiro.

01 agosto 2008

ah, vida real

Último dia de micro-férias, pós viagem maluca, zero descanso, muita paunocuzagem e autismo ao extremo.
De volta ao batente número 2 - sim, pq o número um não me liberou por muito tempo- e agora é bola pra frente e conclusão do 4° ano de faculdade.
Segunda-feira- Manhã > Jornal, Tarde > Rádio, Noite > Aula de Jornalismo Interpretativo e Opinativo;
Terça-feira- Manhã > Jornal (fechamento edição de quarta), Tarde > Rádio, Noite > corpus (hahahahaha: agora sim teremos horário marcado!);
Quarta-feira- Manhã> Aula de Semiótica, Tarde > Rádio, Noite > Aula de Jornalismo Informativo;
Quinta-feira- Manhã > Jornal (fechamento edição sexta), Tarde > Rádio, Noite > Aula Pesquisa em Comunicação;
Sexta-feira- Manhã > Jornal, Tarde > Rádio, Noite > livre (uhuuuu!);
Sábado e domingo- o que restar de mim vai tentar viver nesses dois dias!

Enquanto isso fico com as doces lembranças das férias, como essa foto ai ao lado...

Era para eu estar me formando, né?

putz!

31 julho 2008

apenas 20

Respondendo a meme sugerida pela minha amiga Dani, confere ai como os 20 & Alguns tem afetado a vida dessa jovem pseudo-jornalista...
1. Três coisas relacionadas a época antes de chegar aos 20&Alguns: o que esperava da sua vida aos 20&Alguns?
Faz pouco tempo que tenho 20...apenas dois meses. Mas antes de chegar aqui eu fiz de tudo para que a minha vida 2. alguma coisa fosse, pelo menos, satisfatória. Nasci, cresci, estudei, aprontei todas e mais um pouco. Entrei pra faculdade de jornalismo, depois fui trabalhar em uma redação, fui morar sozinha, namorar meu primo 20 anos mais velho, ver minha banda preferida em praticamente todas as regiões do país...atitudes precoces para alguns, para mim nada de anormal.
Acho que eu não esperava nada muito diferente do que conquistei. Talvez eu queira (ainda quero) mais autonomia. Eu fui morar sozinha, mas a vida real me obrigou a voltar pro colo da mãe e do pai. Hoje o que eu quero é o meu diploma de jornalista e falta tão pouco. Um sonho a ser realizado aos 20 & nem tantos assim.
2. Três realizações aos 20&Alguns:
Puxa, já falei tudo na primeira questão!hahaha. Eu quero meu diploma (eee, 2009 rules!), quero voltar a morar sozinha (tá, não precisa ser tão sozinha assim...né, amor?haha) e voltar a ver o Gessinger num palco (isso nos 30, 40, 50, 60 & todos).
A pergunta é três realizações que deseja ou já tem de fato? Só tenho dois meses de 20 & alguns, então ficam ai minhas realizações futuras.
3. O que você mais gosta ou gostou aos 20&Alguns?
Ainda não deu tempo de perceber isso, mas não mudou muito depois dos 1. alguma coisa...
Mas vale comentar algo que eu disse pra minha irmã outro dia: não me acostumei com a idéia de ter 20 anos. Ainda me sinto com 19. Não que isso faça muito diferença, mas ver um "2" e não mais "1" pesa um pouco...
Ontem ainda me questionei em que fase estou: ainda sou adolescente? já sou adulta? quem sou eu, o que eu sou? aaaaaaaaaaahhhh, melhorar abstrair. Abstrair it's a way of life. Abstraia. Abstraia ou enlouqueça.

Passo essa meme para o talvez único leitor dessa humilde página: Lima, Misael Lima.

30 julho 2008

pouca vogal




a primeira canção fruto da parceria Gessinger & Leindecker

poucas vogais, mas eu não levo fé na força do silêncio

29 julho 2008

enquanto isso, na capital do câncer...


Cachoeirinha City, a capital do câncer, alagada...
e seus candidatos ao legislativo:

Altair, morador de Cachoeirinha há 44 anos! -ainda bem que a cidade só tem 42, né-

Gélson Braga da Dengue -DA DENGUE? eu fora, hein-


isso não me cheira nada bem

28 julho 2008

malucos


o rato roeu a roupa do rei de Roma e a rainha de raiva roeu o resto

A juventude é um bando de malucos que fica noites sem dormir, viajando Brasil afora, para ver um cara tocar umas musiquinhas.
E se isso não fosse uma família, quem se importaria com farelos de pão no chão?rsrs

22 julho 2008

diga até mais, mesmo se for adeus


"Os ENGENHEIROS DO HAWAII vão sair da estrada por um tempo. Quanto tempo? Não sei. Talvez voltemos para comemorar os 25 anos, dia 11 de janeiro de 2010... talvez um pouco antes ou muito depois. Sempre fomos uma banda silenciosa, estou curioso pra verouvir como vão soar as músicas e discos com este silêncio radicalizado. Novidades, neste site. Cuidem-se! Tu-di-bom!!!! HG"


Volta logo, compañero!

17 julho 2008

a distância tenta, mas não separa

video

Pós-show EngHaw em Porto Alegre, 17 de maio de 2008.

Família EngHaw reunida. Que tal mais um encontro dessa turma num show da nossa banda preferida?
Estou com saudades de todos vocês!

Foda é o Brasil ser tão grande...

15 julho 2008

tirar os pés da terra firme...seguir!


E se eu dissesse que preciso de férias, isso faria alguma diferença?
Eu preciso encher uma mochila de roupas que não vou usar e ir pra qualquer lugar. Longe de qualquer pessoa.
Pode ser uma praia, quiçá Arroio do Silva. Ficar em casa sozinha e não me preocupar em comer cachorro quente todos os dias. Também não quero me preocupar em pegar muito sol, nem ficar com uma marca tosca de biquini, pq o que eu quero mesmo é não usá-lo.
Vou ler todos os livros que eu gosto sem me importar se intelectuais de merda acham que Sidney Sheldon é ruim. Também não vou ligar se alguém telefonar e se não telefonar. A essas alturas já não terei mais um telefone.
Vou brincar com o controle remoto e cantar "cara, eu prefiro outros canais"...
Vou tirar uns dias pra acordar bem tarde pq não terei compromissos e dias em que vou sair cedo pra assistir o nascer do sol na beira do mar... e lá será meu ponto favorito. Quero me deitar na areia sem me preocupar se é suja ou se algum bichinho intruso vai invadir meu biquini. Também não vou me importar com meu cabelo....deixa ele. Vou rir pq a água faz cócegas e as nuvens no céu tão formando alguma coisa não identificada, mas que é engraçado.
Vou jogar paciência e só nesse momento vou sentir falta de uma parceria pruma rodada de pife. Vou perder a minha paciência de tanto jogar e ir deitar na rede, ouvindo só o sons de insetos que habitam os terrenos vizinhos...todos vazios. Acho que estou com sono e minha pele está queimada...esqueci o protetor solar. Amanhã vou ao shopping comprar um, o mais próximo deve ficar a alguns 10 km...Acho que vou deitar, não pq é tarde, nem por nada. Apenas quero deitar e em todos esses dias só vou fazer o que eu quiser fazer. Vou adormecer logo e sonhar que estou de férias na minha praia favorita e sozinha...e lembrar que esse foi só o primeiro dia.

se dizem que é impossível
eu digo: !é necessário!
se dizem que é loucura
(eu provo o contrário)
e digo que é preciso
eu preciso...é necessário
seguir viagem, tirar os pés da terra firme
e seguir... viagem

14 julho 2008

Ame o Rock!


Ontem foi o dia mundial do Rock. Pra comemorar, botei a rodar no dvd o primeiro registro de um disco ao vivo da minha banda querida, Engenheiros do Hawaii.
Realmente, o que eu quero não existe...mais! Gravação do disco Alivio Imediato, no Canecão, Rio de Janeiro, final da década de 80. Imagens registradas pelo jovem que hoje vem ser meu amigo, Mario Guglielmi.
Afinal, o que é ronquenrou? Sem dúvida: Humberto, Augusto e Carlos. Os três. JUntos!
Esse video era lenda, pelo menos pra mim, até cerca de um ano atrás. Mesmo depois de tê-lo recebido e apenas assistido por um breve instante (só pra confirmar que era, de fato, a gravação), não tive tanto interesse. Coisas de quem sabe o momento de deixar de ser fã.
Pois ontem eu abandonei essa idéia e fui, finalmente, assistir na íntegra. Essa é a minha banda favorira. Tudo bem que o Novos Horizontes é um disco bacana, assim como todos que o antecederam, mas o que eu quero é rock. Eu quero a guitarra do Augustinho me fazendo delirar, as caretas do Maltz e toda sua doação ao instrumento...o Humberto mandando a mídia se danar... mega dispostinho, como sempre, mas ai... alguém ai tem a explicação??? São variações de um mesmo tema, realmente.
Nada se compara. Que danem-se as demais formações, com todo respeito aos seus trabalhos...mas o que eu quero é rock!

Nesse dia após o dia do rock, viva os fãs que se contentam sempre com discos mega perfeitos, registros de uma banda que não existe mais... e viva a esperança de quem ainda acredita que a hora certa vai chegar.

Augustinho, Rio e Mario: ai vou eu!

Ame o Rock!

09 julho 2008

é necessário


Eu quero ir embora, mas por algum motivo não consigo.
Quanto mais longe eu puder ir, melhor.
Quanto menos objetivo, também.
Principalmente porque eu quero morar em um outro lugar, só para ir morar em um outro lugar que não o que eu já moro desde o início da minha vida.

...porque tem muito mundo no mundo e eu que não quero ficar aqui!

08 julho 2008

amor quente

Essa canção está na minha mente desde que acordei...pq será?

07 julho 2008

Quanto vale a vida longe de quem nos faz viver?


Já faz um ano. O tempo passou muito rápido e as vezes parece que nem passou. Tudo o que eu quero dizer é que eu sinto a tua falta todos os dias.
Eu trocaria a eternidade por um dia contigo.
Quanto vale a vida longe de quem nos faz viver? quanto vale eu não sei, mas o sentido vai embora junto com as pessoas que não estão mais presentes. Aquelas que a gente ama e que hoje faz o coração fazer tum-tum dolorido.
Dói muito. E vai doer pra sempre.
O que será que ela quis dizer? 5 letras começando com a letra A...

04 julho 2008

Amo ela, a moela

Você penteou o cabelo dele?
- Penteei-lho
- Ah, aquela é uma mulher que se disputa a qualquer preço!
- Não desista! Ofereça a outra face!
- Na vez passada!
- Vou pôr no gráfico!
-Desculpa então, vamô então...
-Ele já havia dado!
- Meu pai, Eva e Adão (fala bem rápido essa...)
-Eu vi ela...vou me já...uma mamão...ter tinha...
Se souber de mais... dê uma mão aqui!

CACOFONIA: amo ela!

Saca só minha lata de "amo ela", bem dispostinha!

03 julho 2008

E se a medida de amar fosse limitada?


Nada disso faria sentido, sequer esse texto. Meus "motivos de força maior" não superaram a vontade de ver o Humberto e eu fui pra Lajeado.
Nessas horas que eu fico me perguntando, afinal o que é isso? Que sentimento é esse que move a gente? É, ainda não consegui a resposta...pq a gente larga tudo: trabalho, família, faculdade e tudo mais e vai atrás do Alemão! Ainda bem que ninguém limita amor, carinho e admiração...
Sai de Porto Alegre 14h30, duas horas de trajeto. Pocket show marcado para 19h.
Cheguei cedo, deu tempo de conhecer o território e ainda receber a feliz notícia de que a Elisa estava a caminho. Entre uma questão de prova e uma mensagem da Ana, ela se convenceu a também participar de mais essa. Érik também a caminho, com a querida Vanessa.
Aos poucos a turma foi chegando, inclusive Master e HG. O evento era um Festival de Livros e Humberto convidado para tocar e autografar a sua mais recente obra: Meu pequeno gremista.
Confesso que o local e o público, tirando a família enghaw, não era o mais adequado para um show e acho que foi perceptivel a falta de reação do público. Ou fui só eu que tive essa impressão?
O pocket foi bem curto mesmo, só algumas canções: Pra Ser Sincero, Terra de Gigantes, Parabólica, Refrão de Bolero, No meio de tudo vc, Perfeita Simetria + O papa é pop...e outras. MAS NADA DE VOZES!!! E eu cobrei: - faltou Vozes!!
Até terça-feira a noite eu não ia ao show, muito trabalho e atividades em geral, vida real! Mas depois que eu ouvi a Carol, digo o Humberto em um video em Volta Redonda cantando Vozes, me arrepiei. Acho que ouvi umas 27 vezes e decidi: VOU PRA LAJEADO e o resto que se exploda!
Fui, não ouvi Vozes, mas não me arrependo. Sessão de autógrafos depois do show e nós, que já nem temos mais nada pra autografar, praticamente, fomos apenas dar o ar da graça. Bater um papo e umas fotos e cobrar Vozes, é claro.
De volta a Porto Alegre, caminho perigoso: chuva na estrada e o quase atropelamento de uns ciclistas... rs.
Chegamos em paz e na despedida, Ana diz: Caxias?
Elisa e Juliane respondem: - CAXIAAAAAAAS! !!!!!!!!!

Dia 17- VOLTAREMOS!

Acho que somos apenas fãs, fazendo jus a frase: a medida de amar é amar sem medidas!

Depois virou um vício

01 julho 2008

Se você ouvisse as vozes que ouço a noite

...acharia tudo que eu faço natural!
E natural para um fã enghaw é despencar de onde quer que se esteja, com a carteira vazia mesmo, sem saber ao certo onde será o evento da vez e pra ver tudo aquilo que tu já viu, mas vai se emocionar ao rever...mesmo que seja pela centésima vez!
E ah, antes que eu me esqueça: ter dengue ou qualquer outra patologia terrível para faltar o trabalho. No meu caso já não cola mais, então irei mesmo ver o Gessinger.
Pq se vocês soubessem o bem que ele me faz...
Esse video abaixo é a uma versão bem recente de Vozes, música que HG já não toca há algum tempo! O video não está muito bom, mas o som é o que vale nesse caso, e eu recomendo conferir...uma bela canção!
Rumo a Lajeado ouvir vozes, vozes gessingerianas!




Vozes!
Queeeee? Mentira!!!

Autismo ao extremo

Video gravado pelo MARIO (sem acento) no pós show-enghaw dia 17 de maio.
Um dia super, uma entrevista super...tosca! ops, uma entrevistada tosca, com respostas toscas...


Autistas

Em Porto Alegre, Juliane diz:
-Mário, entrega esse relógio do Pink Floyd pra Carol? Era pro Humberto, mas acho que ela vai gostar mais e mês que vem é aniver dela.
Mário diz:
-Sim, sem problemas.
Algumas semanas depois...Mário no Rio e eu aqui...
Juliane pergunta:
-Entregou a parada aquela pra Carol?
Mário responde
-Dei pro Émerson.
Juliane, irritada, diz:
-É pra CAROL
CAROL, CAROLINA BRAGA LEITE TAVARES!!!!!!!!!Não quero mais falar.
Três semanas depois sem se falar...
Juliane envia um sms e diz:
-Me desculpa?
Comunicação controversa é foda, desculpa Mário.
Enfim, presente entregue, Carol feliz, Ju e Mário de bem. Espero que ele volte a comentar aqui e a ouvir o FL...ou ao menos volte pra PoA, pq eu estou com uma saudade enorme. Nenhum pôr do sol no Gasômetro tem sentido agora... nem ver pela milésima vez o quarto do Mário, o Quintana.
Viu, isso é um pedido de desculpas em público!! E não é fofo, é triste!

30 junho 2008

Uma experiência mágica

Tem muita gente querendo viver de música e uma alternativa hoje é justamente o meio inde-
pendente.
Prova de que isso é possível, o grupo Teatro Mágico lança seu segundo álbum, o "2º ato", também distribuido gratuitamente na internet.
Liderado por Fernando Anitelli, Teatro Mágico mistura circo, clima de sarau e MPB com arranjos irreverantes e performances há muito esquecidas pelos artistas que tu costuma ver por ai.
Em relação ao sustento e venda de cds, acho que TM se deu conta do poder da internet muito antes da Radiohead e seu In Rainbows. A diferença está na visibilidade que essas duas bandas possuem.

Quer ouvir?
http://tramavirtual.uol.com.br/artista.jsp?id=6273

Strawberry Fields Forever

Encerra hoje a The Beatles Exhibition no shopping Praia de Belas, em Porto Alegre. A mostra apresenta fotos, discos em vinil originais, réplicas de instrumentos, manequins com roupas, fardas e os tradicionais terninhos e jaquetões da época, além de uma grande diversidade de objetos e curiosidades alusivas ao quarteto de Liverpool.
The Beatles Exhibition reúne as mais importantes peças do acervo do publicitário, músico, colecionador e beatlemaníaco paulista, Márcio Mota. A coleção contém peças raras adquiridas em todo o mundo que servem para contar a história da maior banda de pop-rock de todos os tempos.
Destaque para o Strawberry Fields Garden – réplica do Jardim da Paz, de Nova Iorque, onde há um memorial a John Lennon. O memorial apresenta um mosaico que forma uma mandala hindu, com a inscrição 'Imagine' ao centro. No Praia de Belas, esta instalação tem 5,5 metros de extensão.

Fui lá e recomendo!


Saca só a engrenagem no centro do mosaico...qualquer semelhança será mera coincidência?

Dispostinha mode on


Tour EngHaw RS 2008- já passou, mas ainda vale comentar pelo registro e também pq eu faço parte do Exército, o exército de um homem só!

Quinta, 24 de abril- pocket show com HG e lançamento do livro Meu pequeno gremista em PoA. Encontro mais do que TRI-color

Terça, 13 de maio- sarau elétrico com HG no bar Ocidente em PoA. MUITAS risadas. Hilário Gessinger despontou, sem dúvida e fez meu coração fazer tum-tum mais forte ao improvisar sozinho as clássicas Além dos Outdoors e A violência travestida faz seu trottoir.

Quinta, 15 de maio- vi HG tocando baixo novamente, depois de muitos anos, em Canoas...emocionante como só se pode ser! Incrivel!! ah, o Rickenbacker!!!!!!!!

Sexta, 16 de maio- Passo Fundo e as curvas na estrada. Medo, frio e ansiedade. Tratamento vip para o fã-clube por um dia. Qual o melhor baterista, Maltz ou Ayala? Farelos de pão e noites sem dormir...de volta a PoA pq a tour ainda não terminou!

Sábado, 17 de maio- Enfim o show de Porto Alegre- sempre o melhor! Encontros cariocas, nordestinos, paulistas...família EngHaw reunida na casa da dona Juju para o almoço. Paunocuzagens rolando soltas, reencontros saudosos. O show é pretexto pra ver os amigos e os amigos pretextos para se ir ao show. A noite termina com fãs esgotados. Rumo ao 803 ou à serra gaúcha? Escolhemos o jogo do Grêmio e um empate que deixou o Zé com gosto de quero mais.

Segunda, 23 de junho- Sessão de autógrafos do livro Meu pequeno gremista na livraria Saraiva, shopping Praia de Belas em PoA.

Quarta, 02 de julho- HG vai estar em Lajeado... e eu? Dispostinha mode ON! Alguém me leva???


27 junho 2008

A hora de fugir é agora!

Acho que eu descobri que estou no curso errado. Bastou eu me dar conta de que gosto muito pouco dos veículos para os quais estou sendo treinada para trabalhar. E o jornalismo é canalha, convenhamos.
Abaixo os meios e minha eterna insatisfação...

Assessoria- NEM PENSAR!! Jabá, vender minhas idéias por um "produto" no qual não acredito? nunquinha, meu! Só faria assessoria pro Gessinger, mas o cara não curte divulgação...(fudeu!)

Internet- tirando essa página tosca que tu está lendo, do resto quero distância. Digam o que disserem sobre a rápidez na informação on-line. TO ANDANDO e não gosto de web. Traumatizei, Christine!

Tevê- Televisão não. Não mesmo! Não tenhos os atributos necessários e, definitivamente, imagem não é tudo! Tevê é pop, mas não é pra mim.

Rádio- Ah, o rádio!! Eu aprendi a gostar de fazer funcionar um programa de rádio e confesso que esse até me agrada um pouco mais. Mas eu me "bato toda" em um estúdio e como toda Soska mimada, me irrito profundamente... quiçá um dia?

Revista- Revista não é um veículo tão popular e eu sou da galera. Mas tai um meio que vai depender do estilo (lembrei dessa agora http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=40001175)...um meio segmentado...é depende. Mas não, eu não quero trabalhar na Piauí, embora considere uma baita revista!

Jornal- JORNAL!!! Sim, esse me agrada bastante! Eu nasci pra escrever prum jornal impresso, mas acho que naqueles bem arcaicos. Tipo Taquariense...bah, o problema está no fato de que andam dizendo por ai que o jornal tá morrendo. Eu não acredito, mas pra todos os efeitos eu to mesmo no caminho errado.


Foda é que eu só fui me dar conta no dia em que fiz as matriculas para 2008/2 e percebi também que estou, enfim, no sétimo semestre. Rumo ao canudo (canudo e não Canudos, não vou voltar a morar em Novo Hamburgo!)


A hora de fugir é agora!!!



26 junho 2008

é, eu quero sim

Eu quero o direito de ligar pro telefone de todo mundo qualquer hora do dia. Quero fazer cara feia pra quem não gosta e fala mal de Engenheiros. Quero ler todos os livros do Sidney Sheldon sem parar. Quero comer bergamota sem ficar com cheiro nas mãos. Quero o direito de não ser boazinha, simpática, singela. Quero poder brincar de vaca amarela. Quero distância de todo mundo que é chato e quero estar sempre próxima de quem amo. Não quero perder as pessoas que amo! Quero gargalhar e soluçar no cinema durante comédia e dramas, não necessariamente nesta ordem. Quero o direito de cantar as letras do Humberto Gessinger, certas ou erradas, junto com o cantor, no show, na televisão, no rádio e até mesmo no karaokê, esteja ou não na minha vez. E quero cantar bem ALTO!! Quero o direito soberano de impedir que me cutuquem para falar comigo. Nenhum ser humano pode ser invadido em suas fronteiras físicas, psíquicas ou espirituais sem consentimento prévio e sem acordo anterior para decidir se a invasão será na sua ou na minha casa. E quero também permitir que todo e qualquer individuo me ligue, me cutuque, me chame na rua, esbarre em mim, fale comigo, me interrompa quando estiver falando...enfim, que me procure, que esteja realmente interessado em manter contato comigo, ou não...Quero o direito de errar sem receber um alerta do Windows. Quero conversar no msn somente pra marcar encontros e continuar o papo ao vivo. Quero escrever todo dia, toda hora, sem me justificar. Quero parar de escrever sem explicar. Quero decidir e voltar atrás, quero prometer para mim mesma e não cumprir, quero me perdoar sem intromissões, quero ser perdoada. Quero decidir ficar dez dias sem Internet e voltar no nono, ou no quarto, ou no segundo dia. Quero poder dizer que não estou quando meu corpo se faz presente, porque para mim ‘‘estar’’ não é só fisicamente. Quero não-patrulhar e não ser patrulhada. Quero não julgar e não ser julgada. Quero não pentelhar e não ser pentelhada. Quero amar e ser amada. Quero gozar e ser gozada. Quero publicar este parágrafo estúpido sem ser censurada. Quero poder ser estúpida, tanto quanto quero o direito de ser bacaninha. Quero poder cumprir todos os meus compromissos, quero o direito de me escorçar para ser o melhor que eu posso. Quero praticar tudo o que me dá prazer com ou sem talento. Ou não.
Quero que não me perguntem o que eu vou fazer daqui 20 anos, quando eu tiver 40 anos e meu amor 60.
Pq a diferença de idade, no fim das contas, não faz qualquer diferença.
Eu escuto as coisas mais bizarras e tu nem imagina. Desde incesto até impotência.
E sabe que mais? quero ficar com ele pra sempre!

24 junho 2008

No meio de tudo você, moço súper

Talvez esse não seja o momento nem a banda pra se postar, mas ai vai:
"Eu sei que não é sempre que a gente encontra alguém que faça bem. E nos leva desse temporal
O amor é maior que tudo do que todos, até a dor se vai.......Mas te vejo e sinto o brilho desse olhar que me acalma. Me traz força pra encarar tudo"
É Cidadão Quem. Mas o moço súper da foto é quem me faz pensar nessa letra e num dia especial. Tão especial como a noite de ontem, quando eu pude reve-lo e confirmar pela milésima vez o quanto ele é tri.
Sim, ele é afú. O mais de todos os todos.
Falando em CQ e EngHaw, parece que a parceria tá rendendo boas coisas. Confesso que a dupla Gessinger & Leindecker não é o que mais me agrada no sentido de que eu prefiro o Gessinger e isso é FA-TO! O Duca é um músico e tanto e sobre HG vou me abster de qualquer comentário maior...mas juntos formam uma dupla pra alemão nenhum botar defeito, é o que dirão. Certamente, em breve, estarei na platéia aplaudindo os dois, mas sem dispensar um olhar de fã-eternamente-apaixonada para o jovem de cabelos loiros. Afinal, é pq no meio de tudo, ele se faz presente.

20 junho 2008

O que não dá pra evitar

Eu juro que tento me esquivar, assim como ele faz com a taça de vinho depositada a sua frente. Prefere água.
E eu prefiro ele.
Lá vou eu novamente:
Sessão de autógrafos com Humberto Gessinger
23 de junho
18h30 na Livraria Saraiva
Shopping Praia de Belas- PoA

19 junho 2008

Diálogos possiveis parte II


Alemão Will Schdmidt:
eu vi (sem o Daniel, é claro)
Aproveitando que o Daniel está na praia e eu cozinhando nessa redação (diálogo quente- verão em PoA = 40°C), quero informar que eu vi "Eu sou a lenda" com o Alemão Will Schdmidt. Mas com a Josi, pq o Daniel é muito tratante...
Juliane liga e diz:
oieeeeeeee
Daniel com voz de quem pensa "está chovendo em pleno feriadão de carnaval na praia" atende e diz:
oi, fale garota
Juliane diz:
tudo bem ai?
Daniel diz:
sim, um sol maravilhoso, 35°C e eu com a minha sunguinha branca!
Juliane diz:
to te ligando pra dizer que estou no cinema pra ver Eu sou a lenda!!!(lero lero)
Daniel diz:
com quem (tom enciúmado)??
Juliane diz:
com a Josi!!!
Daniel diz:
ah bom, mande um beijo para a garota Josi.
Juliane diz:
tá, só te liguei pra esfregar na tua cara que eu não preciso de ti pra ir no cinema
Daniel diz:
mentira! ligou pq tá com saudade!!!
Juliane diz:
tá, vai começar o filme. bjs, aproveita ai por mim
Daniel ouve um raio caindo e diz:
pode deixar que aproveitarei sim!!bjs
Tum-tum-tum-tum

18 junho 2008

Diálogos possíveis


Daniel diz:
vamos no cinema
Juliane diz:
vamos!!!
Daniel diz:
que filme tu quer ver?
Juliane diz:
Eu sou a lenda
Daniel diz:
ok!

5 horas depois, em frente o Cinemark em Canoas:
Juliane diz:
ai, que feliz! Vamos ver "Eu sou a lenda"
Daniel diz:
com o alemão Will Schmidt? Não, vamos ver "Meu nome não é Johnny”, pois este não tem legendas
Juliane diz:
buáááááááááá
Ps.: Ele tentou me consolar me levando numa lojinha pra assistir o dvd Acústico Mtv Engenheiros do Hawaii (e até conseguiu...)
Versão do gordinho
O gordinho aqui leu a versão da Garota Enxaqueca e notou que havia algo errado. Inverdades foram ditas. O diálogo correto segue abaixo: "ddias" e "Daniel" são a mesma pessoa e "Juliane não tô" e "Juliane" também.
No msn...
ddias diz:
vamos no cinema ver "meu nome não é Johnny"?
Juliane não tô diz:
vamos!!! que horas?
ddias diz:
hoje a noite, to tri afim de ver esse filme
Juliane não tô diz:
Eu também tô
ddias diz:
belezinha, te encontro na estação Esteio, vamos no Cinemark, a pipoca é melhor.
5 horas depois, em frente o Cinemark em Canoas:
Juliane diz:
ai, que feliz! Vamos ver "Eu sou a lenda"
Daniel diz:
com o alemão Will Schmidt?Bem capaz!Nós viemos até aqui pra ver "Meu nome não é Johnny, e não vamos desistir agora.
Juliane diz:
buáááááááááá
Daniel diz:
na boa Ju, eu não gosto de filmes desse tipo, em que morrem todo o mundo, menos o Will Schimidt.
Juliane diz:
mas eu não gosto de cinema nacional
Daniel diz:
tá, mas pq tu disse que queria ver então, eu vim pra ver o filme do Johnny
Juliane diz:
então vamo embora que vai passar "Os Normais " na TV.
Daniel diz:
Ué, não era tu que não gostava de cinema nacional?
Juliane diz:
eu acho que te odeio.
Daniel diz:
será?

17 junho 2008

Propagandas que não cabem...

...em rádio, impresso e televisão.
Nem além dos outdoors.

Quiçá vendem algo, mas é uma dica do que não fazer quando o assunto é marketing.


Ah, mas é uma graça, hein!

16 junho 2008

Juliane- Onipresente :)


Eu poderia fazer um TCC sobre frases de msn...se eu fosse estudante de psicologia.

Acho que dá para descrever a personalidade de um individuo que diz: "a idiota dona desse msn não está"- depressiva maluca, sai fora, bloqueia, ignora, chuta que é macumba!

Muitas vezes, entre pouco mais de 200 contatos, tenho que desvendar que é a "*Xizuda* hj vi mi more s2". Seria ainda mais tosco se não fosse cômico.

Tchê, porque não pode simplesmente escrever teu nome? Não sou o melhor exemplo, mas faça como eu: me chamo J-U-L-I-A-N-E, logo escrevo 'Juliane' no perfil... Onipresente e OniJuliane...rs


tá, voltei


Nunca levei a Ana a sério quando ela dizia que a idade faria diferença.

Então, assumo publicamente: está fazendo.

As cores mudam, o vento sopra pra outra direção e cá estou postando mais uma vez.

Talvéz eu seja uma "maria-vai-com-as-outras", mas hoje ver que duas pessoas próximas ainda acreditam em blogs me fez ter vontade de voltar.

Me dou razão pra escrever várias coisas, mas nada parece ter sentido.

Acredito realmente que as coisas mudam de nome, mas continuam sendo o que sempre serão.


Mas também, saber que lá fora faz menos de 10°C me deixa com desejo de continuar aqui dentro na mesma intensidade que me move a escrever.

E se existe um lugar pra se escrever à vontade, é esse aqui mesmo.

Escrever em comunidade do Orkut, por exemplo, é foda. Ninguém nunca tá satisfeito com o que tu escreve- e realmente não importa o que tu escreve.
A gente vive no mundo do "contra". F-A-T-O!

Na comunidade maior do EngHaw (como eu dialogava com meu cúmplice Misael Lima), com mais de 100 mil participantes, 99 mil e noventa das gentes lá contribuindo me odeiam.
E, sinceramente, pra associar a letra 'L' à Leindecker basta ser alfabetizado!



Eu tô fora, tô de volta


só a mudança é permanente